Sim, vista quem você é!

Como eu disse neste post aqui, tava doida pra ler o livro “Vista quem você é” das meninas do Oficina de Estilo. Sempre acompanhei o trabalho delas e nos últimos meses, tenho repetido a frase “substitua consumo por autoestima” diversas vezes.
Eis que nesse feriado eu me dediquei a colocar as leituras (e os pensamentos) em dia e o primeiro da lista foi ele.

Uma leitura super rápida mas que pode render várias idas e vindas.
O livro é quase um passo a passo para você refletir sobre quem você é, quem você quer ser e como a roupa pode te ajudar nesse processo.
Em todos os capítulos elas propõem exercícios para você desenvolver o seu estilo pessoal, agregando ao seu visual a sua história, seu dia a dia e a imagem que você quer passar, porque sim, a roupa é a primeira coisa que as pessoas vêem sobre a nossa personalidade e se você quer estar bem com o mundo, você tem que estar bem com você mesma!

Durante todo o livro elas reforçam isso: se descobrir, se aceitar, se sentir bem. E elas começam o livro justamente questionando porque tanta gente se veste igual, se todo mundo é tão diferente e há tanta informação disponível por aí e mais do que nunca a moda permite ser quem a gente quiser.
O negócio é que, na maioria das vezes, vestir é um hábito tão comum que a gente coloca no piloto automático e quando tem uma nova necessidade, compra sem pensar e quando precisa, escolhe a primeira coisa que vê e combina as peças da forma mais comum que pode.
Aí elas citam uma frase do Hitchcock que é muito legal: “limitação aumenta a criatividade”. Porque, tipo, quando se pode tudo, não se exercita a criatividade de burlar regras, não se pensa em jeitos diferentes e novas possibilidades.
E é exatamente isso que aconteceu no meu “um ano sem compras”: só quando eu parei de buscar peças novas que eu comecei a perceber a infinidade de coisas que eu podia fazer com as peças “velhas”!
E no livro, elas tocam MUITO na tecla de que quantidade não é qualidade. E que diversas clientes atendidas por elas reclamavam do mesmo “mal”: um guarda-roupa cheio de coisas, mas a sensação constante de não ter nada para vestir. E aí elas vão dando várias dicas ao longo do livro de como otimizar o guarda-roupa, fazer escolhas acertadas e compras que realmente façam a diferença e não o prejuízo, como acontece com muita gente por aí!

Pra terminar, selecionei um trechinho do livro, que também tá disponível nesse post aqui:
“Olha, a gente precisa se concentrar em ‘ser’ e não em ‘ter’. Diz o Saramago, dono do título do post, que ‘ser’ dá muito trabalho porque demanda pensamento, dúvida, perguntar-se sobre si mesmo e mais. Pra gente ser alguém bacana, pra ser HUMANO mesmo, a gente tem que olhar pra dentro, absorver o mundo e devolver já em forma de reflexão, já com opinião. Independente das compras que a gente faz ou do que a gente veste (tem!). Se não for assim a gente é quem passa o cartão de crédito e só. Tudo bem que a gente vive num mundo que funciona mais com consumidores do que com seres humanos, mas consciência de si mesmo é questão individual, cada um cuida de ser a melhor criatura que pode ser – porque né, a gente quer o melhor da vida.” s2

0 0 vote
Article Rating

Poderá também gostar de:

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renata Moreira
Renata Moreira
5 anos atrás

Preciso ler esse livro urgentemente, rsrsr

Camila Kellen
Camila Kellen
5 anos atrás

Que coisa louca essa do supermercado,adorei \o
E ó, 1 centavo faz toda diferença. Tem que ser 14,99
http://www.iamcamilakellen.blogspot.com

Carol Garcia
5 anos atrás

Adorei a indicação literaria Talita. Esses livros de ajuda e tal, de conscientização, parecem bem legais, e quero muito começar a ler livros assim. Quem sabe esse nao seja o primeiro!

Beijao

http://jeitodemulhereolhardemenina.blogspot.com.br/

Lu
Lu
5 anos atrás

Que blog mais lindo flor! Adorei!

Carol Corrales
Carol Corrales
5 anos atrás

Nossa que blog divo Talita, parabéns conquistou uma nova segudora. Adorei o post, pois eu com 16 anos os hormônios de fazer compras estão a mil tudo quero comprar e infelizmente não é tudo que podemos. Adorei mesmo vai me fazer refletir mais na hora de comprar! Beijos muito mais sucesso pra ti!

Pedro Camargo
5 anos atrás

Talita, muito obrigado pela sua recomendação do meu livro. Fico feliz que tenha gostado e que tenha lhe despertado o controle de seus impulsos. Quero dizer que foi uma honra para mim estar no seu blog. Um enorme abraço. Pedro Camargo

Pedro Camargo
Pedro Camargo
5 anos atrás

Talita, muito obrigado pela sua recomendação do meu livro. Fico feliz que tenha gostado e que tenha lhe despertado o controle de seus impulsos. Quero dizer que foi uma honra para mim estar no seu blog. Um enorme abraço. Pedro Camargo

Pedro Camargo
Pedro Camargo
5 anos atrás

Talita, muito obrigado pela sua recomendação do meu livro. Fico feliz que tenha gostado e que tenha lhe despertado o controle de seus impulsos. Quero dizer que foi uma honra para mim estar no seu blog. Um enorme abraço. Pedro Camargo

Nazario de Souza
Nazario de Souza
5 anos atrás

O Pedro Camargo é mestre, ainda vou conhecer esse gênio!!

Anônimo
Anônimo
5 anos atrás

Gostei demais de seu texto.
O modo como você fala de compras, impulso e né
e necessidades reais e imaginárias na aquisição de objetos e roupas me fez parar e analisar a real
o real valor (custo/benefício) da aquisição. Quanto ao livro, pelo que escreveu, achei uma excelente aquisição. Beijos.

trackback

[…] bem grande. São vários os fatores que influenciam essas compras e já falei sobre alguns deles nesse post aqui, sobre o livro “Eu compro sim, a culpa é dos […]

A menina da Dieta Fashion. Adora inventar uma moda e falar sobre tudo que pega bem! Juizforana, vinte poucos anos, jornalista, empresária e apaixonada pela vida. Acredita no amor e ele está presente em tudo que faz. Como toda leonina, adora um desafio. Sonha voar por todo mundo e viver sempre aprendendo.

0 0 vote
Article Rating