Sobre o que postamos, deixamos de postar e o quanto nos comparamos com os outros

Essa semana, uma matéria chamou minha atenção na internet. Uma jovem simulou uma viagem à Tailândia durante um mês pra mostrar o quanto manipulamos aquilo que postamos na rede. Ela pediu aos pais que a levassem para o aeroporto e, depois, retornou pra casa, de onde fotografou situações em locais próximos e manipulou os fotos no photoshop.

A brincadeira, que na verdade fazia parte de um trabalho de faculdade, me fez lembrar desse outro texto, publicado pela Oficina de Estilo no ano passado e que deixei entre os meus favoritos. Nele, as meninas falam sobre o quanto somos influenciadas por aquilo que vemos na rede e como nos comparamos às outras vidas, de pessoas completamente diferentes de nós, e nos sentimos inferiores ou incapazes de atingir tal “grau de felicidade”, sendo que, na verdade, nem sabemos ao certo o que aquilo quer dizer. Essa estranha mania que temos de comparar as coisas o tempo todo.
Uma vez, uma amiga me disse que eu tinha uma vida perfeita. E eu fiquei pensando que, talvez, possa parecer isso mesmo. Sou extremamente grata por ter a família que tenho, por escolher e encontrar aquilo que amo como profissão e por ter saúde e determinação pra correr atrás dos meus sonhos. E eu escolhi dar destaque à essas “bençãos”, ao invés de ficar reclamando dos problemas que vão surgindo ao longo dos dias. Apesar de me descabelar e sofrer com elas, eu sei que minhas preocupações são extremamente pequenas.
E fato é que problemas todo mundo tem. Todo mundo passa por períodos mais difíceis que os outros. Assim como todo mundo tem conquistas e alegrias para comemorar (nem que seja nas coisas mais simples da vida), e cabe a cada um escolher se quer fazer dessas alegrias algo maior ou se prefere ficar remoendo aqueles problemas que parecem também cada vez maiores. O que não dá é ficar se comparando ao outro, porque ele está de férias na praia, tem um relacionamento legal ou parece ser cercado de grandes amigos. Não era pra isso ser uma coisa boa?
Acho que é tudo uma questão de ponto de vista!

Depois que parei de comparar meu guarda-roupa com o de grandes blogueiras e milhares de vitrines e comecei a olhar minhas próprias roupas com outros olhos, comecei a me sentir muito melhor e minha relação com a moda mudou radicalmente. Hoje, olho pras tendências e lançamentos não despertando a vontade de tê-los, mas sim, de entendê-los e perceber entre todas as coisas, aquilo que é realmente importante pra mim.
Acho que com a vida é a mesma coisa!

 Acompanhe também:

Poderá também gostar de:

Poderá também gostar de:

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz

A menina da Dieta Fashion. Adora inventar uma moda e falar sobre tudo que pega bem! Juizforana, vinte poucos anos, jornalista, empresária e apaixonada pela vida. Acredita no amor e ele está presente em tudo que faz. Como toda leonina, adora um desafio. Sonha voar por todo mundo e viver sempre aprendendo.